Financiamento imobiliário na compra da casa própria

By Maio 18, 2017 julho 6th, 2017 Blog, Uncategorized
wordpress-financiamento-imobiliario

Financiamento imobiliário sem mistérios na compra da casa própria.

A maioria das pessoas que buscam realizar o sonho da casa própria optam pelo financiamento imobiliário.

Essa modalidade de negócio consiste em um empréstimo com uma instituição financeira no qual o pagamento do imóvel é feito à vista e, então, você arca com parcelas mensais para quitar esse empréstimo. A vantagem para quem opta por essa modalidade é o prazo extenso do pagamento. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, oferece até 35 anos para que a dívida seja quitada.

Porém, os financiamentos podem dar um nó na cabeça das pessoas que ficam sem saber a melhor opção para suas necessidades e objetivos.

E, para direcionar melhor a sua decisão de maneira que o financiamento imobiliário não pese no planejamento, desvendaremos neste post os mistérios dessa popular modalidade de negócio. Confira!

As vantagens do financiamento imobiliário

Embora certos cuidados devam ser tomados ao assinar um contrato de financiamento imobiliário, existem muitas vantagens em fazê-lo, sabia?

Entre as principais, está a facilidade com a qual você adquire rapidamente recursos para aquisição do imóvel. Assim, você não perde nenhuma oportunidade imediata de negócio.

Outros benefícios podem ser percebidos, como os prazos de pagamento cada vez maiores, a burocracia simplificada e a diversidade de linhas de financiamento imobiliário.

No entanto, você deve pesquisar muito no mercado a fim de encontrar a melhor solução para os seus objetivos e necessidades.

Por exemplo: em instituições financeiras você pode solicitar simulações do financiamento desejado e conferir quanto será pago, ao término do prazo acordado.

Assim, visite mais de um local e cruze informações para obter a melhor alternativa para a sua aquisição de imóvel. Lembrando que a taxa de juros impacta diretamente no valor de suas parcelas.

Ou seja: você deve analisar cuidadosamente a melhor opção. Agora, vamos ver quais são os principais tipos de financiamentos de imóveis?

Os tipos de financiamento imobiliário

Ao decidir pelo financiamento imobiliário, você, como comprador, deve sempre analisar as opções em mais de um banco. Principalmente no que você mantém relacionamento, pois você já é conhecido e muitas vezes possui um crédito pré aprovado.

Além disso, o País conta com duas modalidades (pós-fixada e prefixada), que seguirão como base dois tipos de tabelas para fixar o valor de cada prestação: a Price (Sistema Francês de Amortização) e o Sistema de Amortização Constante (SAC).

A primeira se caracteriza pelo uso de juros compostos e em valores fixo de parcelas. Já a tabela SAC se pauta pela amortização constante do saldo — também identificada por contar com um valor cada vez menor das prestações (o que faz as primeiras parcelas custarem mais ao seu bolso).

Mas, independentemente de sua escolha, saiba que a prestação não pode exceder em 30% o total da renda familiar bruta. Outro fator é que seu nome não deve conter nenhuma pendência (o popular “nome sujo na praça”) e que um valor à vista, inicial, seja dado (é a entrada, que gira em torno de 10%, aproximadamente, do valor do imóvel).

Caso opte pelo banco, existem algumas maneiras para fazer seu financiamento imobiliário

SBPE

Produto da Caixa Econômica Federal, o SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) facilita a aquisição de imóveis por meio de uma carta de crédito da qual você pode dispor de até 35 anos para quitar o débito.

Além disso, com o SBPE, você pode ter outros imóveis e se for cliente da Caixa, pode ainda escolher ter as prestações debitadas diretamente em sua conta corrente com o banco.

FGTS

Neste caso, se escolher pelo uso do financiamento imobiliário com o FGTS, deverá se atentar a algumas características peculiares. Uma é a obrigatoriedade em usar o imóvel para moradia.

Outro ponto importante é que você não pode ter utilizado o FGTS em outro financiamento de imóvel.

Já uma vantagem é que o prazo concedido para quitar o débito pode se estender por até 35 anos.

Clientes Caixa também se beneficiam com esse financiamento imobiliário. Eles têm redução de 0,5% na taxa de juros. Mas para isso precisam possuir 36 contribuições no FGTS e conta ativa (ou inativa) com o saldo desse crédito.

Simulação em Bancos Privados

Normalmente, essa opção possui um valor de entrada menor, comparado ao de alguns bancos, o que também pode servir para negociar taxas de juros menores.

Siga a nossa dica anterior e não se contente com a primeira instituição que você visitar. Faça o máximo que conseguir e negocie taxas melhores para fechar negócio.

Financiamento direto com a construtora

Além das linhas de crédito fornecidas por instituições bancárias, também existe o financiamento imobiliário promovido pela construtora.

Neste caso, a própria empresa concede os recursos necessários. Ela reduz a burocracia exigida pelos bancos, mas se permite uma porcentagem dos lucros provenientes de juros.

A vantagem, para o consumidor, está na possibilidade em obter condições diferenciadas de pagamento. Como entradas com menor valor ou um número maior de parcelas e juros menores.

Entretanto, é bom avaliar a modalidade com o financiamento imobiliário concedido por instituições financeiras. Isso porque, com imóveis de até R$ 150 mil, as taxas de juros de bancos podem ser menores.

Isso se deve ao SFH (Sistema Financeiro de Habitação), basicamente, que é um programa direcionado à redução na taxa de juros dos imóveis.

Acima desse valor, no entanto, as taxas se equiparam, em média, sendo necessário negociar a melhor opção para você. Mas vale ressaltar que o financiamento direto com a construtora também conta com algumas taxas, como a média de cobrança de 12,6% ao ano, de juros e a correção monetária pelo o IGP-M.

Além disso, atenção à instabilidade do mercado de Construção Civil, que pode oscilar mais do que o mercado financeiro e trazer surpresas nas taxas, com o tempo.

Consórcio

O consórcio funciona como se o participante aderisse a um grupo cujos recursos aplicados fizessem parte de algo similar a uma poupança coletiva.

As contribuições mensais são feitas com base em prestações calculadas de acordo com o crédito solicitado. A boa notícia é que essa modalidade não conta com a cobrança de juros.

Assim, todos os meses ocorrem sorteios e, se o seu nome for contemplado, o crédito total solicitado é adiantado. Embora exista a possibilidade em adiantar os recursos por meio de lances (adiantamentos) durante os sorteios.

Essa carta de crédito pode ser utilizada tanto para a aquisição de imóveis quanto para a sua reforma. E até mesmo para quitar outro financiamento imobiliário em seu nome.

O que avaliar antes de assinar o contrato

Embora todos os modelos de financiamento imobiliário dispostos aqui tenham suas vantagens, fique atento a algumas questões antes de assinar o contrato:

  • Observe se o valor das parcelas cabe no orçamento familiar, para que a taxa de juros não comprometa sua saúde financeira;
  • Faça um planejamento, pois o atraso nas parcelas pode virar uma bola de neve difícil de recuperar;
  • Informe-se a respeito de juros, despesas adicionais e correções nas taxas, que podem alterar ao longo das prestações – geralmente com reajustes baseados na Taxa Referencial (TR).

Dessa maneira, você consegue cercar a sua família de cuidados ao optar pelo financiamento imobiliário e tem mais chance de desfrutar o quanto antes, o sonho da casa própria!

Quer saber um pouco mais a respeito das melhores condições de financiamento para o seu imóvel?

Deixe aqui seu comentário ou então, entre em contato!